Sobre o autor

Me chamo Renato Bavier e venho convivendo com a ansiedade há muitos anos.

Resolvi dividir meu conhecimento com outras pessoas e, com isso, auxiliá-las numa jornada mais tranquila e cheia de conteúdo relevante!

Estamos todos conectados! Precisamos nos IMPORTAR mais.

Grande abraço!

A Ansiedade de não agradar

Muitas vezes não nos sentimos à altura de um determinado grupo ou de alguém e fazemos de tudo para que essa perspectiva mude.

Queremos e tentamos agradar de todas as formas. Abrindo mão até mesmo de nossa própria autoestima.

Por que insistimos?

Nessa hora é importante o questionamento: VALE MESMO A PENA?

É imprescindível a hora de saber SAIR DE CENA. Deixar que nossa companhia seja melhor aproveitada por quem de fato nos recebe de braços abertos e não somente nos tolera.

MATURIDADE

Sabemos que o caminho é árduo, pois tudo depende de acúmulo de experiências para que possamos de fato perceber quando não somos TÃO amados quanto pensávamos ou mesmo que aquela turma já não se sente tão à vontade com nossa presença.

Talvez seja difícil percebermos quando não estamos recebendo tanta atenção e nossa importância já não é mais aquela que um dia foi.

Quando gostamos de alguém, queremos ser próximos, assim como temos o costume de frequentar locais que nos agradam. No entanto, nem todo mundo gostará de nós e nem em todos os lugares seremos bem recebidos.

Isso tudo pode não ser percebido rapidamente. Às vezes leva tempo para que possamos nos dar conta ou, quando percebemos, já nos deixamos magoar.

O tempo de cada relação – seja amorosa, de amizade ou mesmo num grupo de colegas de trabalho – é algo muito relativo.

Se faz ainda mais necessário que percebamos quando não estamos mais nos “encaixando”. É preciso que nos aceitemos exatamente como somos e busquemos o fortalecimento de nossa autoestima.

Precisamos entender também que pessoas SEMPRE estarão indo e vindo em nossas vidas.

Deixar ir torna-se um exercício a ser praticado.

Deixe Seu Comentário