Sobre o autor

Me chamo Renato Bavier e venho convivendo com a ansiedade há muitos anos.

Resolvi dividir meu conhecimento com outras pessoas e, com isso, auxiliá-las numa jornada mais tranquila e cheia de conteúdo relevante!

Estamos todos conectados! Precisamos nos IMPORTAR mais.

Grande abraço!

WhatsApp – Use com moderação

WhatsApp e você…

WhatsApp: Use com moderação

As pessoas não conseguem ficar 1 minuto longe dos seus smartfones. Há uma intensa conexão entre o indivíduo de hoje e as MENSAGENS INSTANTÂNEAS!

Nada pode esperar, nem mesmo aquele recado que você poderia tranquilamente ler depois da aula, após alguma refeição ou mesmo ao fim de uma tarefa profissional. Tudo é pra JÁ! Tudo é urgente!

É tão absurdo e preocupante que bastou um boato que esse aplicativo começaria a ser cobrado para que houvesse um derrame de mensagens no próprio app propagando a falsa notícia.

Confusão formada!

 

A origem do boato:<img alt="Borracha apagando o símbolo do WhatsApp"

A notícia surgiu no dia 03 de maio de 2016 e afirma que os diretores do Facebook teriam anunciado por meio de uma transmissão ao vivo que o serviço do WhatsApp seria definitivamente removido do Brasil a partir de janeiro de 2017.

Boato ou Verdade?

JUSTIÇA

Algumas ações na justiça já “derrubaram” o aplicativo em determinados períodos, às vezes somente por poucas horas.

Entretanto foi o suficiente para que muitos usuários partissem em busca de um aplicativo similar. Tal a dependência que existe nessa modalidade de comunicação.

Mark Zuckerberg, cofundador do Facebook e um dos proprietários do WhatsApp teria alegado que esses recentes bloqueios do aplicativo no Brasil devido às citadas ações na Justiça, fizeram com que as ações da companhia caíssem muito e, com tanto prejuízo, a melhor saída seria deixar o país.

Não há confirmação sobre a veracidade do suposto anúncio feito pelo cofundador do Facebook sobre o fim das atividades do WhatsApp no Brasil.

Igualmente, não há nenhuma comprovação das declarações que teriam sido feitas por Mark Zuckerberg.

Tudo não passou de BOATO mesmo.

 

<img alt="TAG o preço da Pressa"

Boato superado, seguimos rápidos nas respostas, ligeiros nos compartilhamentos, velozes na digitação.

Compartilhamos TUDO que vem pelos grupos, através dos amigos, família… É uma pressa incontrolável de estar disponível e exigir que o outro também esteja.

Apressamos nossos dedos para que o outro possa receber logo a mensagem e nos responder num átimo de segundo.

Em contrapartida nem sempre recebemos a mesma eficiência por parte do(s) nosso(s) interlocutor(es).

Daí começa a ANSIEDADE.

Visualiza e não responde.

Impossível domar a ansiedade de ter o retorno na mesma velocidade.

Transpiração e piração suficientes para o desenvolvimento de diversas teorias. “O outro simplesmente não se importa”; “Visualizou e não respondeu? Hummm”; “Que falta de educação!”

Mas precisamos compreender que não podemos viver criando expectativa de retorno IMEDIATO. Simples assim. Calma, o outro pode estar dirigindo, comendo, no banheiro, em uma reunião, tantas possibilidades…

WhatsApp: Use com moderação

É preciso entender o tempo do outro e moderar nessa exigência de retorno.

Aprenda a não exigir tanta velocidade no retorno. Deixe o smartfone um pouco de lado.

Finalmente, compreenda que o aplicativo é instantâneo, AS PESSOAS QUE O UTILIZAM… NÃO!

 

Deixe Seu Comentário