Sobre o autor

Me chamo Renato Bavier e venho convivendo com a ansiedade há muitos anos.

Resolvi dividir meu conhecimento com outras pessoas e, com isso, auxiliá-las numa jornada mais tranquila e cheia de conteúdo relevante!

Estamos todos conectados! Precisamos nos IMPORTAR mais.

Grande abraço!

Redes Sociais e a Influência na Depressão

Redes Sociais e a influência na Depressão

Atualmente todos estamos conectados às redes sociais.

O mundo se informa melhor pelos posts do Facebook, interage de forma rápida e concisa pelo Twitter, se “exibe” em fotos pelo Instagram, etc.

Tudo está envolto ao clima feliz, onde todos se mostram de bem com a vida e postam suas viagens, seus pratos “de causar inveja”, seus programas incríveis.

Não se deixar levar…

Acompanhar todo esse desfile de sucessos ficou cada vez mais complicado.

Muitos se veem com o peso de acompanhar todas as “postagens felizes” de tantos “amigos virtuais” e “virtuosos”.

Começa a pesar aquele pensamento: “Que festa BOA é essa que não me convidaram?”

Parece que muita coisa acontece ao mesmo tempo com todos, menos comigo?

Cobrança, medos e vem a ansiedade e, até mesmo, depressão.

Nos vemos quase que obrigados a vibrar na mesma sintonia e viver os mesmos maravilhosos momentos.

Isso causa uma cobrança muitas vezes dolorosa e impossível de suportar.

<img alt="ícones das redes sociais"

Agora faço um convite a um questionamento: Alguém teria coragem de postar uma foto realmente TRISTE?

Não sendo com o claro objetivo de ganhar “likes”, alguém narraria uma história daquelas BEM escabrosas que acontecem com todos nós?

É claro que tendemos a partilhar nossos melhores momentos, nossas melhores viagens, nossos melhores sorrisos. Isso nos confere um status de BEM SUCEDIDO.

Um estudo realizado pela pesquisadora Hanna Krasnova, da Humboldt University de Berlim indica que o Instagram é a rede social que tem a tendência mais recorrente de forjar uma vida perfeita.

As fotos expostas, normalmente, causam uma sensação de felicidade plena e fazem com que haja uma comparação social imediata.

Sentimentos de inferioridade podem ser desencadeados, segundo o estudo citado e isso acarreta uma grande ansiedade.

Mas não duvide, a vida real é muito menos interessante do que costumamos acompanhar pelas redes sociais ultimamente.

Viva o MUNDO REAL

Sabemos que muitas pessoas passam horas a fio em computadores trabalhando e interagindo nas redes sociais e acabam por deixar a vida social em segundo plano.

Isso pode ocasionar distúrbios de ansiedade e depressão, já que a vida virtual não pode substituir o convívio real. E sabemos que o que é ali exposto muitas vezes é FORJADO para que pareça mais do que é.

As redes sociais contribuem para um isolamento, ansiedade e depressão dos indivíduos e isso tem sido um grande desafio para pesquisadores e para a sociedade.

O MUNDO REAL não pode ser substituído!

Deixe Seu Comentário

Conectado como Administrador. Fazer logout?