Sobre o autor

Me chamo Renato Bavier e venho convivendo com a ansiedade há muitos anos.

Resolvi dividir meu conhecimento com outras pessoas e, com isso, auxiliá-las numa jornada mais tranquila e cheia de conteúdo relevante!

Estamos todos conectados! Precisamos nos IMPORTAR mais.

Grande abraço!

Já ouviu falar em Depressão Existencial?

No artigo anterior falei sobre o Sentido da Vida e naturalmente nos colocamos a refletir sobre a possibilidade de desenvolvimento da Depressão Existencial ligada ao vazio de sentido na vida.

Em muitos momentos nos sentimos tristes e a TRISTEZA é uma reação emocional normal  às inúmeras situações frustrantes que somos obrigados a encarar em nossas vidas.

O preocupante é que após um período relativamente curto não consigamos retomar nosso ritmo de atividades, nos adaptando diante do fato vivenciado.

Quando se trata “somente” de uma TRISTEZA, normalmente restauramos nossa confiança e entusiasmo pela vida.

Homem triste sentado com a mão no rosto

 

Estudos apontam que essa TRISTEZA tem um período de duração que não costuma exceder de 6 a 8 semanas, não sendo necessárias intervenções médicas ou psicoterápicas e que, quase sempre, o indivíduo tem consciência dos motivos que causaram seu sofrimento e consegue ir adiante sem maiores prejuízos.

Entretanto muitas experiências dolorosas podem ultrapassar os limites da tristeza e culminar na chamada DEPRESSÃO EXISTENCIAL, CRISE EXISTENCIAL ou VAZIO EXISTENCIAL.

Seja por um evento específico na vida da pessoa (por exemplo, a perda de um emprego tido como estável ou a descoberta de alguma enfermidade grave), ou simplesmente nenhum fato concreto.

Além disso, às vezes chegando a uma certa idade, uma pessoa pode desencadear uma crise existencial por conta de ter “falhado” em suas pretensões pessoais e/ou profissionais e também pela perspectiva de estar mais perto da morte.

Sair da Depressão Existencial 

Depressão existencial não tem sido amplamente pesquisada e não há abordagens terapêuticas específicas que tenham sido mostradas funcionar melhor que as outras terapias no tratamento da depressão.

Muitos métodos envolvem focar a pessoa com depressão existencial em outras coisas de importância, como a FAMÍLIA.

Algumas pessoas encontram alívio quando se concentram em melhorar dia após dia, aprendendo sempre algo novo, na sua aparência física, riqueza ou religião.

Ocasionalmente, a terapia não é necessária; por exemplo, é normal para um adolescente passar por uma crise existencial, mas é normalmente rápido encontrar significado em amigos, escola, ou hobbies.

Ainda assim, é mais seguro entrar em contato com um profissional de saúde mental para avaliar a situação. Já que isso pode ter um prolongamento inesperado e se transformar num transtorno bem sério.

Depressão Existencial pode ser caracterizada por uma sensação única de desesperança e sensação de que nossa vida pode realmente não ter sentido.

Deixe Seu Comentário