Sobre o autor

Me chamo Renato Bavier e venho convivendo com a ansiedade há muitos anos.

Resolvi dividir meu conhecimento com outras pessoas e, com isso, auxiliá-las numa jornada mais tranquila e cheia de conteúdo relevante!

Estamos todos conectados! Precisamos nos IMPORTAR mais.

Grande abraço!

Empatia e ansiedade

Empatia e Ansiedade

Muitas pessoas que desenvolvem distúrbios de ansiedade possuem uma característica que, muitas vezes, passa despercebida: a EMPATIA.

A empatia é uma resposta afetiva voltada mais para a situação de outra pessoa do que à própria.

Estudos científicos na área da Psicologia indicam que pessoas que sofrem com os transtornos de ansiedade tem mais facilidade para entender e até sentir as emoções de um outro indivíduo.

<img alt="duas pessoas

Eu e o outro

Essa ligação é bastante objetiva, pois quanto maior a capacidade emocional e sentimental de um ser humano, maior será sua aptidão para reconhecer, e compreender necessidades alheias.

Considera-se que a sobrecarga emocional constitui um ponto de vulnerabilidade da empatia que pode levar à alterações do humor como depressão e ansiedade.

É preciso observar que a capacidade para sentir o que sentiria caso estivesse na situação e circunstâncias experimentadas por outra pessoa, muitas vezes pode ser dolorosa.

Tudo em demasia é preocupante, portanto até o excesso de empatia pode tornar-se bastante prejudicial.

Limite

O excesso da empatia pode dificultar que enxerguemos de forma clara o espaço ou intenção do outro.

Muitas decisões equivocadas, tendenciosas e omissas podem vir a ser tomadas quando não observados alguns limites. Mesmo que não se tenha a intenção de prejudicar alguém, ser empático sempre, pode gerar um sentimento de dívida e fidelidade exagerada, o que nem sempre é algo útil e benéfico.

A empatia é, sem sombra de dúvida, algo de extremo interesse, seja dentro ou fora do trabalho; a vida é constituída por relações e vivemos com outros, sempre. Enquanto trabalhadores ou não, criamos expectativas, seja com amigos, familiares, clientes ou fornecedores, e, portanto, por detrás disto, existe a ideia que nos faz acreditar que os outros farão aquilo que esperamos que façam, quando empáticos.

A Fórmula

Nada, em se tratando de relações e sentimentos possui uma fórmula mágica a ser seguida.

É preciso cultivar a EMPATIA nas relações sempre obtendo alguma medida para que não haja o exagero.

Caso contrário estaremos nos colocando, de certa forma, num patamar de inferioridade às pessoas com quem convivemos.

É sempre bom lembrar que RESPEITO é uma medida que precisa ser trabalhada em via de mão dupla.

Quando você se põe a pensar demais nos outros e esquece de você próprio, está desrespeitando a VOCÊ mesmo.

Em tempo:

A palavra empatia origina-se do termo grego empátheia, que significa entrar no sentimento.

No dicionário Aurélio o significado da palavra empatia aparece como: “Tendência para sentir o que sentiria caso estivesse na situação e circunstâncias experimentadas por outra pessoa”.

Deixe Seu Comentário